sábado, janeiro 15

UM MÓRMON NO LOCAL DA TRAGÉDIA…

Hallison Liberato é um SUD brasileiro morador em Niterói / Tersópolis, região que tem vindo a ser fustigada pelas chuvas que ocasionam a tragédia que estamos a assistir e cujas imagens nos são trazidas pela comunicação social.

É dele o texto que apresentamos abaixo e que nos dá conta do que se está a passar nesta região do Rio de Janeiro

Vim de lá agora e a situação só piora (melhora pela ajuda das pessoas, de outras cidades que não foram afetadas) mas piora porque muita gente ainda está sendo encontrada.

Vários corpos espalhados na rua, pessoas “comuns” lavando corpos, grupos de pessoas e famílias inteiras sendo encontradas depois desse tempo todo, sem comida e água potável, crianças doentes com vómitos e diarreia, sujas e arrebentadas, hospitais lotados.

Não se encontra um galão de água por menos de R$40-60.
A água da torneira está barrenta, amarela, suja.
Não há energia elétrica, telefones e celulares ainda não funcionam.
Vários "povoados" simplesmente desapareceram, os que vão sendo encontrados pedem socorro para as pessoas que foram soterradas e ninguém sabia.

O Ginásio da cidade para onde estão levando os desabrigados está lotado. Voltou a chover agora de tarde. Uma cidade EXTREMAMENTE pacata está desesperada. Arrastões (que nunca aconteceram), assaltos, saques, suicídios... As pessoas estão enterrando os familiares no quintal de casa, sem caixão (que faltou na cidade) e sem funeral.


Pessoas em estado de choque, sem conseguir emitir nenhum som, nem rir, nem chorar.

Nessas horas a gente percebe que a igreja está certa quando aconselha o armazenamento.


É uma coisa que TODOS deveriam fazer, digo isso porque quem vê o que eu vi não fica impassível. As lágrimas vêm aos olhos o tempo inteiro. A cada notícia que aumenta o número de mortos a tristeza se abate mais profundamente.

Mesmo assim as pessoas ainda pedem a Deus que tenha misericórdia.
Que alivie o sofrimento.

Eu só consigo dizer que é muito triste.
Muito triste, muito triste mesmo.

Quase duzentas mil pessoas aos prantos. Olhos inchados de tanto chorar. É difícil (e não estou aumentando) encontrar alguém que não tenha derramado uma lágrima pela desventura que se abateu na minha cidade.

Mas Deus sabe o que faz, Ele está no comando. Resta-nos entender qual a Sua vontade.

Posted by Picasa

2 comentários:

Chris Ayres disse...

Acredito que pra se ter uma idéia do desespero das pessoas nessas áreas, este vídeo também nos faz derramar lágrimas:

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2011/01/imagem-mostra-resgate-de-mulher-em-enxurrada-na-regiao-serrana-do-rio.html

É triste quando não podemos ajudar muito a não ser orar. Mas, quem mora no Brasil, principalmente no Rio, pode ajudar doando sangue.

É só procurar um posto do Hemorio. Existem no Botafogo, no Flamengo, na Rua Frei Caneca 8, no Centro, e funcionam de Segunda à Domingo.

Tenho parentes e amigos lá que estão se revezando pra ajudar naquelas áreas, ou nos abrigos, igrejas, escolas, e também funerais.

Que tristeza! Que o Senhor ajude essas pessoas!

Chris Ayres disse...

Bom lembrar que a Igreja já mandou ajuda, seja em forma de kits de emergência, bem como cobertores, primeiros socorros, comida e roupas. A notícia foi publicada no Newsroom:

http://beta-newsroom.lds.org/article/church-helps-fund-relief-for-brazilians-suffering-from-floods-and-landslides